Artigos

 

EMPURROTERAPIA

 
A imensa maioria dos consumidores usuários das farmácias locais desconhecem uma prática absurda que tornou-se freqüente em nosso meio: a substituição ilegal dos medicamentos prescritos pelos médicos por similares conhecidos como “bonificados”. Estes remédios não são submetidos ao rigoroso controle de qualidade exigido dos verdadeiros Genéricos e algumas vezes tem o custo até mais elevado do que os Genéricos ou mesmo os chamados “remédios de marca”.
Então, qual será a razão que motiva os balconistas a preferir “empurrar” estes remédios de qualidade duvidosa? Muito simples. Boa parte das farmácias acena com a possibilidade de dobrar ou até triplicar o salário do funcionário com a comissão paga por estes laboratórios anti-éticos. É de se desconfiar da idoneidade de laboratórios e farmácias que se utilizam de tais artifícios para competirem no mercado às custas de um risco real à saúde da população. Isso tudo sem contar o desrespeito à opção do médico e, sobretudo, a Lei Federal n° 9.787, de 10/02/99, que só permite a troca dos medicamentos prescritos por seu genérico correspondente e sob a chancela do farmacêutico responsável (expressa no verso da receita, na forma da lei).
Portanto, não permita que a troca irresponsável dos remédios prescritos pelo seu médico ponha em risco todo o tratamento preconizado. Não submeta-se a qualquer exame físico ou tratamento medicamentoso orientado por profissional não habilitado para tal fim. Exija seriedade e respeito de quem deveria trabalhar em benefício da sua saúde.

 

Dr. Jonas Krischke Sebastiany